3 Estratégias Que Não Dão Certo (e 3 Que Dão Mais Certo) Quando Você Não Consegue Escolher Entre Cursos

 

Escolher um curso de faculdade é difícil, eu sei. Tem tanta coisa legal no mundo, tanta coisa interessante pra aprender e fazer, como só escolher uma? Como deixar de lado todas as outras coisas que você não está escolhendo?

Por mais complicado que seja escolher uma coisa só, a verdade é que em algum momento a gente precisa fazer essa escolha. E depois vamos fazer outras escolhas, que podem ser igualmente dolorosas, quando nos formamos na faculdade. Afinal, todos precisam escolher uma área na qual trabalhar ou um tema para continuar estudando numa pós-graduação.

Você pode ser ou fazer qualquer coisa, mas você não pode ser ou fazer tudo.

É super comum chegar na inscrição do vestibular (ou na matrícula da faculdade) e não ter decidido o que fazer, ou continuar com fortes dúvidas. Culpe o mundo por oferecer opções demais.

Quando esse tipo de coisa acontece, algumas pessoas usam umas estratégias que… Bem… Não dão muito certo. De maneira geral. 

Se escolher um curso estiver muito, mas muito difícil mesmo para você, e você acabar fazendo alguma dessas coisas, tudo bem. Não tem nada proibido e a vida é sua. Você que sabe das suas escolhas e você está fazendo o melhor que pode (todos estamos). Só achei bom avisar porque na teoria as ideias parecem ótimas, mas de verdade, elas acabam não acontecendo da forma que imaginamos.

 

Estratégia comum que não dá certo #1: fazer duas faculdades ao mesmo tempo

Isso geralmente acontece quando a pessoa não consegue escolher um curso até o vestibular, aí ela se inscreve em cursos diferentes em várias faculdades. Suspeito que a esperança secreta é passar em só uma das faculdades e deixar o universo decidir.

Mas aí, felizmente ou infelizmente, a pessoa passa em mais de uma. Aí ferrou.

Sem conseguir escolher um dos cursos, muitas vezes a pessoa decide continuar com as duas coisas, fazendo duas graduações ao mesmo tempo. Pode até parecer que funciona, afinal, uma tem aula de manhã, a outra tem aula à noite, é um uso eficiente de quatro anos, termina a faculdade com várias opções de trabalho...

Mas vou ser sincera com você. Todo mundo que conheço que fez isso acabou largando um dos cursos ainda no primeiro ano. Porque uma graduação demanda muito tempo e energia fora da sala de aula, e fazer duas faculdades realmente fica MUITO cansativo. É impossível? Não. Mas também não é tão possível quanto a gente pensa. 

 

Estratégia comum que não dá certo #2: decidir fazer um monte de faculdades, uma depois da outra

Falo isso com ressalvas, porque fazer uma faculdade e depois entrar em outra é até comum. Eu mesma tenho colegas que terminaram Psicologia e agora estão fazendo Medicina, Matemática, Música... 

Mas o que não dá tão certo é planejar fazer uns 5 cursos desse jeito. Sendo que você ainda não entrou no primeiro. 

A questão é que muitas vezes a faculdade não é bem o que a gente imagina. Talvez você faça quatro anos de faculdade, se forme em alguma coisa e chegue à conclusão de que você simplesmente não quer mais fazer faculdade. É difícil saber com certeza se vamos querer fazer um segundo ou um terceiro curso se ainda não fizemos o primeiro para saber se gostamos. 

Então fica o aviso: seu plano até pode ser fazer 6 graduações uma depois da outra (uau, isso levaria no mínimo 24 anos. Se uma pessoa entrar na primeira com 17, vai sair da última no mínimo com 41). Mas saiba que isso possivelmente não vai acontecer do jeito que você planeja. Pode ser que no final você faça só a primeira faculdade. E aí, qual você vai escolher para ser a primeira? 

 

Estratégia comum que não dá certo #3: tentar conciliar as opções em um curso “meio-termo”

Eu adoro essa estratégia porque eu fico imaginando os cursos que são chamados de "meio-termo" ficando ofendidos e chorando num canto. Tadinhos.

Tipo “Não consigo escolher entre Fisioterapia e Psicologia então vou fazer Terapia Ocupacional” ou “Não consigo escolher entre Medicina e Química então vou fazer Farmácia”.

Eu entendo a lógica, parece uma solução, mas não é bem assim. São três coisas diferentes, e não um espectro de cursos. Os “meio-termo” não estão lá para tapar buraco entre dois cursos “puros”. Os cursos até podem ter pontos em que se tocam, mas não tem nenhum que é apenas uma mistura sexy de outros dois. 

Em outras palavras, se você fizer Farmácia, você não vai virar um químico-médico. Você vai virar um farmacêutico. Que trabalha em lugares diferentes, de jeitos diferentes e tem um dia-a-dia diferente de químicos e médicos.

A mesma coisa vale para Terapia Ocupacional. Fisioterapia é uma coisa. Psicologia é outra coisa. Terapia Ocupacional é uma terceira coisa. 

Ou traduzindo em um diagrama de Venn (uau, ainda lembro desse nome): 

E como só chegar e falar de coisas que não dão certo seria muita mancada da minha parte, aqui estão 3 estratégias que podem dar mais certo quando você não consegue escolher entre cursos (hesitação porque eu não sei como cada um vai processar as informações e colocar as ideias em prática).

 

Estratégia que pode dar mais certo #1: aceitar que em algum momento você vai ter que fazer uma escolha e dizer tchau pra todas as outras opções

Eu sei, dói. E aceitar isso não é algo que está super no nosso controle. Mas tente se acostumar aos poucos com a ideia. Lembre-se de que você pode ser ou fazer qualquer coisa, mas você não pode ser ou fazer tudo. 

Nossa energia, nossa atenção e nosso tempo de vida são limitados. Se você escolher as coisas que são importantes pra você e que você mais gosta, cortando todo o resto, você vai conseguir se dedicar muito mais àquilo que faz sentido pra você, sem distrações.

Isso não significa que você está jogando no lixo tudo que não é diretamente ligado à sua escolha. Você ainda vai ser você, com seus interesses, seus gostos, suas habilidades... E talvez um dia você até encontre uma forma de juntar duas coisas que você tem interesse ou ter duas atividades ao mesmo tempo (oi, psicóloga que sempre quis ser escritora aqui). Mas quando a questão é faculdade, meio que você tem que escolher uma mesmo. Pelo menos por enquanto. 

 

Estratégia que pode dar mais certo #2: entender (de verdade) a diferença entre os cursos

Isso é para acabar com o bullying do "curso meio-termo".

É normal e esperado não saber o que os cursos são. Tem uns quatrocentos cursos superiores no Brasil e ninguém nasce sabendo a diferença entre Veterinária e Zootecnia ou Sociologia e Antropologia. Então como você faz para entender a diferença entre os cursos?

  • Compare as grades curriculares. É só procurar no Google "[nome do curso] + [nome da faculdade] + grade curricular", tipo "USP Veterinária grade curricular". Você pode até imprimir e ver que matérias eles têm comum e que matérias são diferentes.

 

Estratégia que pode dar mais certo #3: conhecer a fundo cada curso que você tem interesse

Depois que você viu a diferença entre os cursos checando as grades curriculares, você possivelmente vai perder interesse em alguns deles. E talvez você descubra outros cursos que parecem legais! Pegue os cursos que você tem interesse e pesquise sobre eles, para saber o que eles realmente são (e não o que a gente imagina), qual é a vibe de cada um, quem são as pessoas que se formam nesse curso e como você se vê nesse curso. 

Como fazer isso: 

  • Você pode começar com uma pesquisa na internet, mas eu já aviso que NÃO é para acreditar 100% no que tá escrito. Grande parte dos sites sobre profissões têm descrições extremamente limitadas e estereotipadas dos cursos, dos profissionais e das possibilidades de trabalho, porque é praticamente impossível fazer uma descrição detalhada e verdadeira do mundo de trabalho real.
  • Volte para as grades curriculares e veja quais cursos têm matérias que chamam a sua atenção, que parecem ser coisas que você gostaria de estudar.
  • Procure pessoas que estão fazendo os cursos que você quer ou que já se formaram e pergunte sobre o curso! Talvez você já tenha conhecidos na família, ótimo, vá atrás deles. Se não, procure por grupos de faculdades no Facebook. Aí é só achar alguém simpático e mandar uma mensagem, tipo "Oi! Tudo bem? Meu nome é [blablabla] e eu estou pensando em fazer [tal curso] na faculdade [tal]. Vi que você estuda lá, será que você pode me falar como é e o que você acha?" Ou você também pode postar diretamente no grupo, tipo "Oi, gente, estou pensando em fazer [esse curso], alguém pode me falar mais sobre ele?"
  • Tente se imaginar nos cursos que você tem interesse. Como é o seu dia-a-dia? Como são suas aulas? Que livros você lê? Como você se sente? Quem são seus colegas? O que você faz quando chega em casa? O que você quer fazer depois de se formar? Se for difícil imaginar essas partes mais concretas, é hora de pesquisar os detalhes óbvios que a gente acaba esquecendo!

Escolher um curso é difícil, é doído e leva um tempo mesmo. Então vamos fazendo as coisas conforme conseguimos.