Coisas Que Você Precisa Pensar Antes De Escolher Uma Profissão

 

O post de hoje é uma contribuição da minha colega de profissão Anna Beatriz Caramelo, que atende adolescentes e adultos no Rio de Janeiro!

Psicóloga, Orientadora Profissional e de Carreira, Anna Beatriz Caramelo realiza psicoterapia e atendimentos individuais e em grupos em Orientação Profissional e de Carreira. Possui formação em Terapia Cognitivo-Comportamental pelo CPAF-RJ e está em formação pelo Instituto do Ser em Orientação Profissional e de Carreira.


Hoje em dia já não adianta tanto saber se você gostaria de cursar Engenharia, por exemplo. Com tantos tipos de Engenharia no mercado, como escolher uma área específica antes mesmo de saber realmente do que ela se trata? Como escolher uma profissão que tem tantas possibilidades de trabalho? Como entender as diferenças entre a mesma graduação em diversas faculdades, sem se confundir com a enorme oferta de cursos disponíveis? 

escolhas e "não escolhas"

Desde muito novos, os seres humanos são estimulados a escolher. Começa-se com tarefas simples, como escolher a cor do lápis que pintará o desenho, a roupa que deseja vestir, com quem quer brincar, até "o que ser quando crescer". E conforme crescemos, as escolhas vão ficando mais complexas e nós nos tornamos mais responsáveis por elas, percebendo suas consequências em nossas vidas.

Mas a única coisa que não se pode fazer é não escolher.

Toda “não escolha” também é uma escolha. Deixar outras pessoas escolherem por você é uma escolha. Decidir no dado é uma escolha. Não fazer nada e esperar para ver como as coisas se desenrolam é uma escolha. 

Uma coisa é certa: não é fácil escolher! Especialmente quando se tem que escolher uma coisa só para estudar por 4 a 6 anos, com o plano de trabalhar com aquilo no final.

A cada dia mais observa-se uma grande evasão dos cursos superiores, com pessoas desistindo tanto no início quanto no meio e até no final do graduação. Muitos universitários relatam nem saber quais matérias são ligadas ao curso ou vivem uma versão fantasiada da profissão em questão. Resultado: ao se depararem com a realidade, desanimam-se, acabam mudando para outros cursos, acreditam que "não servem” para nada ou ficam sentados aguardando sua vocação “aparecer”. 

 

Falando em "vocação"....

Será que isso realmente existe?

Se formos procurar no dicionário, esta palavra é um termo derivado do verbo “vocare”, do latim, que significa "chamar". Inicialmente essa palavra era ligada a um chamado religioso e único. Ou seja, você só teria um chamado em toda a sua vida (e esse chamado teria algo a ver com Deus). 

O tempo foi passando, o mundo foi mudando, o capitalismo se fortaleceu e novas demandas sociais surgiram. Com isso, a palavra "vocação" foi se reconfigurando e hoje se sabe que não existe um chamado para apenas uma única coisa na vida.

Seres humanos são seres plurais, cercados de influências e em constante contato com novas aprendizagens. Não somos como as aranhas, por exemplo, que tecem teias sem ninguém ensinar. Nós podemos construir casas, assar pães, pilotar aviões, desenhar joias, organizar eventos, escrever artigos, criar obras de arte... Basicamente fazer o que quisermos. 

Então não perca mais nem um segundo se perguntando qual a sua "vocação". 

Pode-se ter aptidão para uma determinada área, interesse por outra e gosto por uma terceira. Mas independentemente de um "talento natural", lembre-se sempre de que a nossa maior capacidade está no ato de aprender. Aprender coisas novas, aprender sobre campos diferentes e aprender com as demandas que surgem ao longo da jornada.

 

a sua escolha não está isolada do resto do mundo

O ser humano existe em sociedade. Nós estamos o tempo todo influenciando outras pessoas e o ambiente e sendo influenciados por outras pessoas e pelo ambiente, em uma "estrada de mão-dupla". Então, como não poderia deixar de ser, a nossa escolha profissional também está rodeada de influências sociais, econômicas, políticas, ideológicas, psicológicas, educacionais e familiares.

Por isso, é importante ter consciência do que está influenciando a sua escolha. 

Por exemplo: não adianta escolher um curso só porque ele está “em alta”, ou só porque surgiram muitas vagas no mercado de trabalho nos últimos anos. Quem garante que vai continuar assim? Atualmente, vivemos no mundo das transformações rápidas e constantes. Profissões que eram âncoras no passado já não existem mais ou não são mais tão valorizadas. Tecnologias que eram utilizadas 5 anos atrás já foram substituídas. Então não dá pra escolher uma profissão só por "demanda do mercado".

Outro exemplo: quem nunca ouviu falar de alguém que está fadado a seguir uma profissão só porque todas gerações da sua família trabalham na área? Não há problema algum quando uma pessoa se identifica com a profissão de seus familiares e escolhe traçar caminhos semelhantes aos deles, mas é importante compreender os motivos pelo quais ela deseja percorrer essa estrada, para que não se sinta "sem escolha" ou "apenas seguindo uma tradição". 

 

então... como pensar sobre escolhas profissionais?

No momento que você se depara com uma escolha profissional, é importante refletir sobre:

1. Estilo de vida desejado: Quando se escolhe uma profissão, ou uma determinada linha dentro de uma carreira. é necessário entender que se escolhe junto todo um estilo de vida. Você se envolverá num determinado grupo social, terá uma rotina voltada para o seu trabalho e frequentará locais específicos da área. Você já tinha pensado nisso? Será que a profissão escolhida está de acordo com o que você espera de um ambiente de trabalho e uma rotina ideais? Você gostaria de participar do grupo social relacionado à sua futura escolha?

2. Nível de autoconhecimento: Para entender o que você espera ou quer da vida, é muito importante olhar para si mesmo e passar por um processo de autoconhecimento. O que é importante para você? Que experiências foram importantes na sua vida? Como você faz escolhas? Só assim você conseguirá construir um projeto de vida que alinhe suas expectativas e desejos com as possibilidades e a realidade do trabalho escolhido. 

3. Influências em sua vida: O que está influenciando a sua escolha profissional? A sua escolha faz sentido para você e para a sua vida ou você está se deixando levar pela sua família, amigos ou valores da sociedade? Fique atento! Procure realizar uma escolha o mais consciente possível, entendendo os motivos pelos quais você quer seguir por esse ou aquele caminho.  

4. Informação profissional: Também não adianta saber o que você quer e não saber como tornar isso possível. Por isso, pesquise sobre o curso que você deseja fazer ao máximo. Procure as grades curriculares de várias faculdades para entender a diferença entre os cursos, veja como seria a rotina de estudos e como ela se enquadraria com seu estilo de vida e entre em contato com profissionais da área para acompanhar um pouco o dia-a-dia do trabalho e conhecer o panorama do mercado. 

Vale lembrar que nós somos seres de modificações constantes, sempre em contato com experiências novas e vivendo uma transformação permanente. As escolhas que fazemos são as que fazem sentido naquele momento de vida, de acordo com os nossos desejos e possibilidades. Mais pra frente, em uma outra situação, podemos sempre rever nossas escolhas, encontrar novos sentidos e definir outros caminhos. 

 

como a orientação profissional pode me ajudar?

Quando se trata da escolha profissional ou da reescolha de curso superior, é importante refletir sobre aspectos que envolvem toda a sua vida. Não é um conjunto de testes que te dará a resposta do que você tem que seguir, o psicólogo não vai dizer o que você tem que fazer e a resposta não vai cair do céu.

É comum observar jovens ansiosos e angustiados ao chegarem aos consultórios de psicologia, procurando por respostas prontas. Mas para escolher conscientemente é necessário ter um papel ativo dentro do processo de Orientação Profissional e de Carreira.

A única pessoa que pode decidir o que você “quer ser quando crescer” é você mesmo! A Orientação Profissional virá para facilitar a escolha e ajudar a pensar sobre o tema a partir de conversas, dinâmicas, jogos, textos e materiais dirigidos. 


Anna Beatriz Caramelo é psicóloga clínica com formação em Terapia Cognitivo-Comportamental pelo CPAF-RJ e aprimoranda em Orientação Profissional e de Carreira pelo Instituto do Ser. Realiza atendimentos individuais em psicoterapia e atendimentos individuais e em grupo em Orientação Profissional e de Carreira no Rio de Janeiro. Entre em contato através do e-mail annabeatriz.caramelo@gmail.com ou pelo telefone (21) 96927-6150.